• Blog
  • OS VIZINHOS DA ROTA DOS PARQUES

OS VIZINHOS DA ROTA DOS PARQUES

: Solange Passicot | : 12 fevereiro, 2021 | : Blog , Cultura , Natureza ,

Você gosta de documentários? Em seguida, convidamos você para a estreia da série “Anfitriões da Rota dos Parques”, da Fundação Tompkins Conservation Chile. Uma compilação de 17 cápsulas audiovisuais que revelam diferentes histórias de pessoas que vivem em comunidades em torno de grandes parques nacionais no sul do Chile.

Descubra toda a energia de quem mora na Patagônia, conheça seus sonhos, os diferentes trabalhos que desempenham e o orgulho que sente em morar nas proximidades de grandes parques nacionais como Pumalín Douglas Tompking e Nacional Corcovado.

UM PARAÍSO VERDE DE CONSERVAÇÃO

Imagine que está no sul da Patagônia chilena, cercado por antigos bosques de lariços e enormes cachoeiras, em um terreno de mais de 400 mil hectares de fauna e flora nativas protegidas, nas comunas de Cochamó, Chaitén e Palena.

O Parque Pumalín Douglas Tompkins, foi declarado em 2007 pela UNESCO como reserva da biosfera das florestas temperadas dos Andes Austral, devido à enorme biodiversidade presente neste local e à grande importância que tem mundialmente.

parque-pumalin
Foto: [@parquepumalin].

Se continuarmos um pouco mais ao sul no mapa, encontramos o Parque Nacional do Corcovado. Uma extensão de mais de 290 mil hectares de florestas temperadas, belezas e riquezas naturais únicas no mundo.

parque-nacional-corcovado
Foto: [@guywenborne].

Perto desses dois grandes pulmões verdes da Terra, existem dezenas de outros territórios naturais protegidos, como o Parque Nacional Alerce Andino, Hornopirén, Melimoyu, Queulat, Ilha Magdalena, Laguna San Rafael, Cerro Castillo, Patagônia, Bernardo O’Higgins, Kawésqar, Torres del Paine, Pali-Aike, Alberto de Agostini e Parque Nacional Cabo de Hornos.

Todos estes destinos constituem “A Rota dos Parques”, um percurso que percorre um total de 2.800 km entre Puerto Montt e o Cabo de Hornos, e que abriga numerosas espécies em um total de mais de 11 milhões de hectares protegidos. Neste local há três vezes mais carbono armazenado por hectare do que na Amazônia. Um verdadeiro paraíso natural!

MELODÍAS DA PATAGONIA

A série “Hosts da Rota dos Parques” reúne o testemunho de diferentes pessoas que viveram em Chaitén, El Amarillo, Michimahuida, Santa Bárbara, Chana e Caleta Gonzalo, e que encontraram nos parques e no turismo uma fonte de emprego para viver.

Nas cápsulas você conhecerá várias histórias de guarda-parques, folcloristas, empreendedores, mestres ribeirinhos e queijeiros, entre outros. Aqui estão três histórias interessantes daqueles que são considerados anfitriões do parque.

COM A ALMA EQUINA

ronny-vega

“Eu sou o gaúcho chileno! Assim se autodenomina Ronny Barría, cantor e amante do folclore. Vindo de uma família de músicos, vive há sete anos no que chama de “o portão norte da Patagônia” em Chaitén.

Há alguns anos, ele aprendeu nas Ilhas Canárias, na Espanha, o comércio de domar cavalos. Seu trabalho se concentra em estabelecer um vínculo amoroso com os animais que lhe permita domesticá-los. Para ele a música, os cavalos e o ambiente natural que o rodeia andam de mãos dadas com o folclore.

Para Ronny, fazer parte da recuperação e renascimento desta área de extraordinária beleza, onde algo que foi perdido é resgatado, é algo de valor inestimável para ele.

CONHECENDO A PATAGONIA

toyita
As histórias agora nos levam a conhecer uma mulher calorosa, reconhecida não só por ser tão acolhedora, mas também por oferecer os mais belos tecidos da região. Chapéus, ponchos e mantas feitos à mão com lã natural, fazem parte do comércio que Toyita Riquelme realiza há anos.

Natural de Chaitén, de uma grande família de 10 irmãos e mãe de 4 filhos, ela herdou de sua mãe o antigo ofício da tecelagem. Para Toyita continuar morando próximo ao Parque Pumalín Douglas Tompkins, onde já trabalhou como guia turística, é sem dúvida um privilégio. “Sinto que aqui tenho tudo: fontes termais, rios, mar, passarinhos, vegetação selvagem … Um paraíso!”

O FIM DO TURISMO VAZIO

bosque
Nesta última história apresentamos Alejando Vega, um homem comprometido em ser um agente de mudança. Ele está convencido de que o turismo é para um fim que essa não se preocupe apenas com a preservação das matas e da água, mas também com a cultura e tradição de cada local.

Toda a sua vida esteve ligada ao turismo e orgulha-se de sensibilizar para o papel conservacionista que o campo deve assumir. “A Rota dos Parques” é para ele uma tremenda oportunidade de conectar turistas com um território muito importante no mundo e garante que “minha missão é orientar os turistas a conhecer em outro contexto, compartilhar com as comunidades, sentir a essência da natureza e seu povo ”.

COMUNIDADES PATAGÔNICAS COM VALOR DE PATRIMÔNIO

Isso é apenas parte do que se poderá ver na série “Anfitriões da Rota dos Parques”, disponível no YouTube. Um projeto que visa dar visibilidade à forma como os residentes dos grandes parques nacionais tem aproveitado as oportunidades económicas que o turismo lhes oferece, e como se tornam também os verdadeiros protetores e anfitriões de quem vem visitar estas unidades de conservação.

mate

 

 

 


: Solange Passicot

Avatar
Escritor de blog para Chile.Travel

Escritor de blog para Chile.Travel