Chile travel

Seguindo as pegadas do vinho Pintatani

Há mais de 400 anos, no Vale de Codpa, a uns 110 quilômetros ao sul de Arica, no norte do Chile, é feito um dos vinhos chilenos mais antigos. Sua elaboração foi mantida exatamente igual à que os espanhóis utilizavam quando chegaram a este vale verde em meio à aridez do Deserto do Atacama.

O Pintatani é um vinho doce, produzido com a uva País. Sua fama se espalhou por uma parte do altiplano e tornou-se a principal atividade econômica de Codpa no século XVIII.

Atualmente, o Vale de Codpa não chega a ter 200 habitantes, mas aos poucos os turistas vêm ganhando interesse por conhecer o valor patrimonial de sua história e a Rota das Missões, um circuito turístico que resgata a paisagem cultural do altiplano da região de Arica e Parinacota.

Na época pré-hispânica, Codpa era tão grande quanto as cidades chilenas de Arica e Iquique, graças à fertilidade do vale, à pureza da água e ao clima temperado. Os espanhóis se instalaram neste lugar com suas tropas e suas tradições culturais, entre elas a elaboração do Pintatani.

pintatani_baja

O Pintatani era elaborado por 45 famílias produtoras, que gozavam de grande reputação em toda a região. O vinho viajava de Codpa até o Peru e a Bolívia, pela Rota da Prata, e também a diferentes pontos do vale para as mais de 80 festas senhoriais que eram celebradas no altiplano. O mais requisitado era o de Pintatani, um pequeno vilarejo – hoje inabitado – que deu nome ao vinho. Independentemente de onde viesse o vinho, todos diziam que era de Pintatani. Assim, a marca ficou famosa.

Já no século XX, com o desenvolvimento das estradas e o crescimento do comércio, chegaram vinhos com outras características, mais baratos, e o Pintatani perdeu o protagonismo. No entanto, seus antigos métodos de elaboração, em lagares abertos e com pilão, ainda sobrevivem nos pátios de algumas famílias de Codpa, um patrimônio gastronômico e cultural do altiplano chileno.



Inscrição newsletter